Respeito à Pluralidade de Opiniões

           *Hémerson Modesto (Mecinho)

           Viver em um estado democrático de direito é aprender a respeitar a pluralidade, a diversidade e principalmente os ditames de nossa Carta Mãe. Em nossa sociedade não há mais espaço para condutas que denigram a honra, a dignidade, a moralidade e a complexidade da inteligência humana.

             Essa postura absolutista de se equiparar ao estado, assim como fez o rei Luís XIV ( O Rei Sol )” O estado sou eu” (“L’État c’est moi) é uma conduta ultrapassada e que ficou só nos livros de história. Essa prática autoritária não é mais aceita e concebida nos dias atuais, pois pelo sangue de valorosos homens, os quais buscaram que todos os humanos ao nascerem tivessem acesso a direitos inalienáveis: ideais de liberdade, igualdade e fraternidade que moveram a massa a marchar e derrubar o estado soberano.

             Nós como outorgantes do poder público constitutivo, não podemos aceitar os desmandos cometidos por quem por nossa vontade foi imbuído para gerir a máquina pública a favor do coletivo e no entanto se furta, passando a gerir a máquina do “seu jeito”, muita das vezes sem respeitar os princípios da administração que dentre outros estão a eficiência, moralidade, publicidade e transparência…Chega de omissão!. – Já está mais do que na hora da população acordar, colocar a boca no trombone e passar a exigir os seus direitos…

           Dessa forma, a democracia nos dá a oportunidade de discutir, discordar e apontar os desmandos públicos, no intuito de se ter uma maior autonomia e empoderamento da sociedade sobre o controle social…

           E para os detentores de cargos públicos eletivos, que não aceitam ser contrariados e a formação de uma incipiente oposição, por acharem que são detentores de um rei em suas entranhas, deixo a palavra de um dos homens mais influentes do século XVIII, o qual defendia todo tipo de liberdade humana, enquanto muitas vozes se calavam…

           Voltaire: ” Posso não concordar com nenhuma palavra do que você disse, mas defenderei até a morte o seu direito de dizê-lo “.

NOTA:*HÉMERSON MODESTO, é filho de Manoel Modesto e Conceição Gouveia, sendo seu segundo, de quatro filhos da primeira esposa. Foi militar no Estado de Alagoas por dezesseis anos, chegando a ocupar o posto de Sargento daquela corporação. Muito estudioso, veio a se graduar no Curso de Enfermagem no IFPE, em Pesqueira-PE, e por isso mesmo, após aprovação em concurso público a uma única vaga existente de enfermeiro, chegou a trabalhar por dois anos na Prefeitura Municipal de São João-PE. Com muito esforço, ainda fez pós-graduação em Obstetrícia Pediátrica, porque para ele, “a beleza de tudo que existia era a vida.”  Inexplicável e misteriosamente, partiu para nunca mais voltar, em 08.10.2018, numa tristonha tardinha de uma segunda-feira que nunca deveria ter existido. Apesar da jovialidade, uma pessoa que amava a vida, um grande fazedor de amizades, além de ser dotado de retidão de caráter, moralidade, honestidade e ética no que fez enquanto viveu, será sempre lembrado por tudo que representou neste vida, por suas marcas mais valorosas de bom filho e pai amoroso que era com as suas duas filhas, Clara e Eduarda.

Compartilhar:

Manoel Modesto

Advogado, escritor, poeta e presidente da ABLA (Academia Buiquense de Letras e de Artes)

Sugestões de leitura...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *