Brasil – País das Maravilhas?

A gente que vive neste país desde que nasceu, sabe perfeitamente das reais condições em que vivemos. Consciência se tem de tantas riquezas acumuladas em todo o nosso vasto território, porém o nó da questão está justamente na distribuição e utilização de tais riquezas.

Em nosso território, claro, existem dificuldades de toda natureza, porém da mesma forma, tantas riquezas que se possam imaginar e não era para o país está passando por uma situação de calamidade em que se encontra a grande maioria de sua população como vem enfrentando. À bem da verdade se tem recursos e riquezas que nos colocaria na posição de viver independentemente de outras nações, porque possuímos todas as riquezas necessárias à sobrevivência humana, porém o mundo globalizado tem que estar plugado.

A questão é da concentração de todas as riquezas de nosso país em poucas mãos, do jogo de interesses escusos de ricos e poderosos ocasionais e a distribuição de renda não chega realmente a quem deveria chegar e tem necessidade de que isso venha a acontecer, porém o egoísmo de muitos fala mais alto e buscam sempre enganar a todos como se tudo fosse um verdadeiro país das maravilhas como a mentiras descaradas jogadas para fora no discurso do presidente na ONU, que sinceramente, é uma peça fantasiosa escrita por algum “ghost writ” de plantão que só trata mesmo de puxar o saco do rei e principalmente dizer o que a extrema-direita quer ouvir.

Afirmar em seu pífio discurso o que disso naquele Órgão representativo de quase todos os países do mundo e sendo o Brasil um privilegiado por essa fala, isso para os brasileiros que têm um mínimo de dignidade, é uma deslavada vergonha desse alcaguete de presidente que vira e volta, faz uma pregação com base num dantesco passado, buscando justificar a sua inépcia e incapacidade de ser dirigente de uma Nação do tamanho do Brasil, jogando lorotas de farsas e mentiras, como se no Brasil tudo estivesse na mais verdadeira ordem e paz, o que não é verdade.

Ele deveria ter era mais um pouco de vergonha na cara para sair por aí dizendo tão-somente num discurso, o que alguns extremistas da direita ainda gostam de ouvir e aplaudir, mas para as pessoas que ainda tem um pouco de massa encefálica no cérebro, de neurônios, isso faz parte do surrealista desse presidente que tem complexo de viralatismo, esta é a verdade nua e crua. Para piorar ainda mais as coisas, chegou a mais uma vez bater continência à bandeira americana. Que vergonha, seu presidente!

Compartilhar:

Manoel Modesto

Advogado, escritor, poeta e presidente da ABLA (Academia Buiquense de Letras e de Artes)

Você também poderá gostar de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *