Querendo ou Não, Ele Não é o Dono do Brasil!

           No mais puro estilo e comportamento antidemocrático e ditatorial, o presidente Jair Messias Bolsonaro, certamente está a imaginar, como muitos outros políticos de outras paragens tupiniquins imaginam, que ao se ganhar uma eleição, um mandato eletivo, àquilo que é público, res puclicae, passa a ser encarado como se coisa privada fosse, mas não é bem assim que se pode subsumir-se na última forma de dominação daquilo que realisticamente de privado não tem absolutamente nada.

            Na questão especial de Bolsonaro, que vem de uma formação humana, social e política fundada na mediocridade, na banalidade e no desvalor das relações dos seres humanos na vida política e em sociedade, para ele, com uma tosca preparação de “milico” de quinta categoria, não dá para encarar esse cidadão como representante máximo do povo brasileiro e por isso mesmo, pelos seus atos praticados por toda a sua vida, quer nos quartéis, quer na vida pública como político, historicamente nunca teve muita coisa a oferecer ao povo brasileiro, a não ser essa faceta de nazifascista psicopata que vem demonstrando ser detentor.

            Dos 38 presidentes brasileiros, se pode dizer com toda certeza de quem conhece a história ou tem no mínimo uma formação da historicidade deste país e do planeta, não se pode conceber venha a ser considerado no pedestal dos melhores, mas sim, única e exclusivamente no glamour reservado ao baixo pedestal dos piores presidentes que este país já pode olvidar vir um dia a ter.

            Por tudo que vem acontecendo neste país, principalmente por quem deveria respeito o seu povo através do magnânimo cargo que ocupa, ele sempre feriu todos os protocolos, o rito de execução de atos administrativos e a liturgia exigida para que alguém venha a sentar na cadeira de presidente da república deste país. Ele foi o único que feriu todos esses preceitos básicos, quebrou todos as exigências que o cargo requer, nunca cumpriu a Constituição da República Federativa de 1988 e quer levar o país para mais uma aventura golpista militar em pleno século XXI, coisa que há de se acreditar, nem a maioria absoluta do povo brasileiro quer, tampouco as comunidades internacionais aceitam, em se tratando de um país de tamanho continental como o nosso. Diga-se de passagem ainda, que militares que estão a lhes apoiar, é porque não tem a devida inteligência que deveriam ter e por isso mesmo, não buscam ver a realidade visível e palpável, mas um mundo dantesco que um dia na história veio a tentar ser construído por um Hitler na Alemanha e Mussolini, na Itália e de quebra, querendo levar o mundo, tendo como consequência a II Guerra Mundial.

            Por isso mesmo, antes que se chegue ao absurdo de derramamento de sangue entre irmãos, melhor seria uma outra saída para esse títere, perda de mandato e prisão, já que agora, o povo em sua maioria vem a considerar que ele é incapacitado para ter sido eleito o presidente do Brasil, para governar esta Nação, porque nos seus atos que vem praticando, só incita a violência, debocha das minorias, não cuidou da pandemia de forma alguma, por isso mesmo estamos aí caminhando para 540 mil mortes, quando isso jamais deveria ter acontecido, e por isso mesmo ele jamais deveria ter sido presidente deste país.

            Nesses quinze meses que faltam para término de seu mandato, que ainda se tem que aguentar esse destrambelhado, faz ele de tudo para desestabilizar instituições, promove intrigas entre poderes, busca uma base de apoio de uma milícia civil-militar para tentar emplacar um golpe ou uma guerra civil nesse tempo, e por isso mesmo, a maioria democrática da sociedade brasileira deve estar atenta para que esse psicopata num momento de desvario, de loucura, como reiteradamente vem acontecendo, não venha num piscar de olhos, atingir o seu intento e aí, quem sabe, não venha a ser demasiadamente tarde. E aí não se terá uma solução, porque “inês já estará morta”, e o pior veio a acontecer. Antes que algo desse tipo venha a acontecer, melhor seria uma saída nos moldes da legalidade o mais breve possível, porque o monstro dentro desse vírus reproduzido em vários parasitas, está furioso e crescendo a ponto de explodir a qualquer momento.

            Então nas circunstâncias atuais, o que pode se fazer é cada brasileiro de verve democrática, ficar atento contra esse maluco que por um aborto conspiratório chegou ao poder máximo desta Nação e por isso mesmo, o erro de uma parcela, deve ser corrigido o mais urgente possível por àquelas pessoas que ainda acreditam que tudo pode ser diferente neste Brasil, menos com a continuidade desse verme nazifascista no poder. Bolsonaro jamais será dono do Brasil, porque este país não poderá jamais vir a se tornar um chiqueiro de mais uma propriedade privada sua e da familícia. Viva a democracia! – Viva o Brasil! – Fora Bolsonaro genocida!

Compartilhar:

Manoel Modesto

Advogado, escritor, poeta e presidente da ABLA (Academia Buiquense de Letras e de Artes)

You may also like...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *