Incitar a Violência é a Senha Para Matar

Incitar a Violência é a Senha Para Matar

 

          Não venha dizer que quando um determinado grupamento humano que vive num ambiente em que tem a violência como base de convivência, isto não venha a gerar ainda mais violência e a cada momento mais escabrosas possíveis.

          Numa sociedade humanamente pacífica e pregadora da paz, da não-violência como células basilares da convivência humana e social, evidente que atos de violências, barbáries, tendem a acontecer em bem menor grau, porque a base filosófica de doutrinamento humano e social não tem como foco principal se basear num lastro de violência escancarada.

          Pois bem, dando visibilidade a estes dois polos opostos de convivência entre seres humanos, não se pode olvidar a menor possibilidade de que a violência ocorrida com mais intensidade e acirramento no nosso país, não venha sendo ventilada, destilada pelo atual presidente da república para os seus seguidores, que sejam seguidores de uma religiosidade com fundo filosófico na paz, no amor e na convivência humana e social harmoniosa, ou não, mas ele pode ser considerado o principal responsável por essa onda de violência que vem ocorrendo em nosso país, em face de sua forma de agir e de pensar.

          Cada ser humano é fruto e resultado, daquilo que desde o seu nascedouro aprendeu, se desenvolveu e se firmou num patamar de sua vida. O ser humano é a sua história de vida passada e presente. Basta se olhar para o passado, as ações do presente de quem quer que seja, que se pode perfeitamente determinar a personalidade existente em todo e qualquer ser humano. Ninguém age de uma ou de outra forma por acaso. A história de cada ser humano é construída pelo passado vivido no decurso de sua vida e pelas suas práticas do presente que refletem perfeitamente a sua formação de caráter, da moral e de convivência humana e social. Assim é que é forjado o ser humano, diferentemente não poder-se-ia ser.

          O que vem se passando no país a partir da assunção desse governante de extrema-direita, indubitavelmente, é algo extremamente preocupante, aterrorizante e amedrontador. Desde lá atrás, quando ainda capitão do exército, Bolsonaro queria explodir o quartel em que servia. Ato terrorista contra a própria corporação? – Claro que sim, outro nome não pode ser dado a um ato dessa natureza. De outra parte, também chegou a planejar explodir uma adutora do Rio de Janeiro, que servia água à população. Quais não seriam as duas consequências dessas perigosas, terroristas e danosas ações? – Com certeza, a tivessem elas sido concretizadas, com certeza danos irreversíveis teriam marcada para sempre a vida de muitas pessoas.

          Expulso do exército por prática de atos terroristas, o STM, num ajeitadinho, o reintegrou à corporação militar, porém na condição de aposentado compulsoriamente, porém não perdeu sua patente militar, não houve punição alguma pelos seus atos criminosos e com isso, o que fez mesmo foi se beneficiar.

          Entrou na política, durante trinta e dois anos vem sendo eleito através do voto da urna eletrônica e eis que, mesmo com todo esse êxito em sua vida de parlamente, chegou à presidência da república, por uma fase de anestesia do povo brasileiro e deu no que se está vendo acontecer.

          O ser violento que vinha se formando no passado, jamais deixei de existir dentro dele no presente momento, a ponto de, como primeiro mandatário, está incitando seus partidários políticos a práticas violentas, atentados, intrigas, rixas, mortes, estão ocorrendo por conta de sua pregação de violência e por isso mesmo, ninguém pode dizer até aonde se vai chegar a manter esse tresloucado psicopata no poder, porque os danos irreversíveis de sua pregação nefasta para uma sociedade mansa e pacífica, vinda de um presidente, quando deveria ter por dever e obrigação buscar unir, pacificar, acudir o seu povo, na verdade está incitando o ódio feroz, a violência sem limites, a prática de barbáries inimagináveis, em nome de um inimigo que só existe mesmo na mente doentia de pessoas como o atual presidente da república, que num país sério, de instituições honradas, com certeza já estaria na cadeia amargando o pecado pelos crimes reiterados que praticou durante toda a sua vida e ninguém fez absolutamente nada.

          Vejam aí as mortes inconsequentes e atitudes de violência graciosa que vem ocorrendo em todos os recônditos deste país e tudo isso, através de kamikazes que levados por esse doutrinamento doentio de Bolsonaro, só tem levado pessoas fracas a acreditarem que as sandices, mentiras, inimigos inexistentes que ele busca colocar na cabeça de seus seguidores anestesiados por esse veneno, vem fazendo um grande estrago em outras pessoas que antes de tudo, são irmãos de um mesmo país, que antes de se vê enroscado num ato de violência, só vai acordar depois que chegar a atender aos apelos de um indivíduo que antes de ser alcunhado de “mito”, o que na verdade na dor e no sofrimento de quem comete uma barbárie qualquer, no final de tudo, tardiamente vem pode vir a perceber que estava realmente diante de uma ignominiosa monstruosidade dantesca.

          É esta a realidade dantesca que estamos vivenciando em nosso país e, se não houve alguma medida, algo de pior poderá vir a acontecer e aí, já não se poderá fazer mais nada, porque a vida já não mais existe.

Compartilhar:

Manoel Modesto

Advogado, escritor, poeta e presidente da ABLA (Academia Buiquense de Letras e de Artes)

Conteúdo sugerido...

Leave a Reply

Your email address will not be published.