Este País se avacalhou mesmo!

Como é que as coisas chegaram a esse ponto em nosso país, hein, minha gente? – É um questionamento que não quer calar de jeito nenhum e por mais que se busque uma justificativa para tanta bandalheira, infelizmente a gente quer, porém nada encontra.

O início de todo esse imbróglio se deu com a derrota de Aécio Neves nas eleições presidenciais de 2014, quando ele segundo colocado, que enxovalhou a biografia de Tancredo Neves, seu avô, quando não aceitando a voz das urnas, buscou avacalhar o coreto, não aceitando o veredictum popular e por essa razão, o seu partido, PSDB, protagonista do impeachment da presidente Dilma Rousseff, mas sabendo-a inocente, ainda assim, ilegitimamente, juntamente em conluio com outros partidos, poderosos ocasionais e o judiciário, terminaram por tirar do poder uma pessoa que foi aclamada pelas urnas numa segunda disputa presidencial e isso desencadeou tudo isto que a gente está vivendo.

Não contentes em tão-somente derrubar a presidente eleita pelo voto popular que foi cassado por políticos picaretas, uma minoria rica inescrupulosa e uma justiça desmoralizada, estruturaram um processo contra o ex-presidente Lula, com procuradores e um juiz venais da esfera federal, mesmo incompetentes para processar e julgar o ex-presidente, chegaram a instruir o processo como bem quiserem e entenderem e terminaram por condená-lo, prendê-lo e tirá-lo do páreo presidencial de 2018, onde todas as pesquisas de opinião indicavam que ele seria imbatível e eleito presidente da república pela terceira vez. A orquestração previamente montada, a farsa finalmente venceu e o ex-presidente continua preso político em Curitiba. A mentira venceu a verdade e nada de justiça foi feita até o presente momento.

Pior é o fato de que, depois de toda esse escândalo envolvendo procuradores federal, com especialidade para o Deltan Dallagnol e o ex-juiz Sérgio Moro, que recebeu como premiação um ministério no governo atual, vir a ser desmascarado pelo jornalista americano Gleenn Greenhwald, com provas cabais e comprometedoras, ainda assim, já que tudo não passou de uma farsa previamente orquestrada, o que está provado e demonstrado, mesmo diante de toda a verdade que exsurgiu-se para domínio público, a Justiça tacanha não toma uma medida, com foco principal no STF, para anular todos os processos contra o ex-presidente Lula e não o solta de vez para que ele venha a readquirir a sua liberdade, diante da aberrante ilegalidade cometida pela pequenez desse judiciário tacanha e venal.

A questão toda de pano de fundo, é o fato de que, mesmo tendo toda a verdade vindo à tona, soltar Lula para a escória que está no poder, pode representar um perigo e isso vem sendo motivo de até ameaças ao STF pela cúpula militar de galardão, sobretudo do Exército, para que o ex-presidente não venha a readquirir o seu sagrado direito e ir e vir livremente, o que é um exacerbado desrespeito aos direitos do cidadão e isso não pode ficar desse jeito, sendo necessária alguma ação mais enérgica da própria população.

Na verdade, do jeito que está não pode continuar. Uma quadrilha se apoderou do poder e isso tem o apoio da classe média-média, da média-alta, dos ricos e de uma parte que pensa igual a essa corja, e pior, de parte de um judiciário venal e desmoralizado e por isso mesmo o STF não tem a devida força para tomar uma medida jurídica dentro da legalidade constitucional e da lei, se servindo apenas como um órgão dominado pelas vontades de quem está no poder e dos militares, porque o seu papel constitucional não está sendo exercido em toda a sua plenitude de forma alguma. Melhor seria mesmo fechá-lo fazendo uso de um cabo e dois soltados, como disse outrora um dos filhos malucos desse títere que está no poder de mando.

O mais esdrúxulo em toda essa parafernália, é que o tucano criminoso, os milicianos ligados ao poder e na própria cozinha deste, continuam soltos; do Queiroz ninguém sabe, pelas ligações criminosas com a própria família do presidente e a justiça continua de olhos fechados, então gente, a conclusão é a de que estamos num país da avacalhação e da esculhambação generalizada. Não existe mais credibilidade em nenhuma instituição e nessas que estão no comando do poder, é que não se tem mesmo!

Compartilhar:

Manoel Modesto

Advogado, escritor, poeta e presidente da ABLA (Academia Buiquense de Letras e de Artes)

Você também poderá gostar de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *