O Advogado e o Engenheiro Civil

Voltar ao banco de uma academia de ensino superior depois de três décadas militando na advocacia, para mim é como buscar reaprender a nadar, sem ao menos saber como se dar as primeiras braçadas, mas que, com um pouco de persistência, insistência e sabedoria, a gente vai buscando a movimentar os braços no alinhamento e movimentação correta e vai reacendendo no cérebro do reaprender a nadar, que na verdade, a gente nunca esquece. O mesmo não acontece no que está arquivados em nossos neurônios quando se trata de algo que você não vem a praticar reiteradamente, porém nem por isso, não quer dizer que a chama não poderá vir a ser reacendida.

Não é a mesma coisa, claro, quando você inicia a sua vida acadêmica, como eu, lá atrás e agora, já no ocaso da vida, dar uma meia volta volver e, assim de repente, tendo como pano de fundo algumas intempéries do tempo e por fatores circunstâncias para abrandar e, atenuar minha dor, meu sofrimento, no sentido de a minha mente vir a ser preenchida em conhecimento e mais compreensão deste mundo dantesco, foi num clima assim, que ousei voltar novamente às ciências exatas, embora seja um amante das ciências humanas e sociais, que foi o lastro de toda a minha existência.

Muitos podem até estranhar. Até eu mesmo indago, por qual razão voltar a um banco na condição acadêmica, para tentar concluir um curso de engenharia civil a essa altura do campeonato. O que me espera mais a não ser, pelo menos, se assim ainda fôlego tiver, projetar pelo menos a planta de meu jazigo de morte, de sono eterno, hein, minha gente! – Quem teria a coragem de morar num prédio projetado por mim, se assim chegar a conseguir a tanto, hein? – Bem, pelo sim, pelo não, só sei que estou com alguns jovens, uma minoria como eu, nem tanto assim, mas estou de volta ao banco de uma academia, na Academus, como dizia Aristóteles na Antiga Grécia.

Aristóteles, como tantos outros filósofos da antiguidade, que nunca morreram e jamais morrerão, “acreditava que a natureza tem um “Primeiro Motor”, o causador de um movimento eterno. Esse “Primeiro Motor” seria bom e existiria fora do Universo.” Deduza aí, o quão poderia viajar em sua imensidão de memória para pensar naquela tempo em que viveu, como era o Universo e até buscava em seus incansáveis estudos, se aprofundar em tudo que existia a sua volta, para se ter um estudo aprofundado em sua visão e sempre chegar a uma conclusão. Por seus tantos estudos em todos os setores científicos, ele é considerado o pai da biologia e da lógica.

Nada do que estudaram essas mentes brilhantes da Antiga Grécia, foram em vão, porque estão vivas até os dias atuais. Eles sim, nunca morreram de verdade e permanecem na mente e em todos os estudos desenvolvidos pela humanidade, em qualquer área que venha a ser. Por isso mesmo é que sempre tenho dito, que a gente só não morre se permanecer a ideia viva daquilo de deixamos de positivo e que sobreviva a posteriori nas mentes das pessoas. É assim a imortalidade da vida, nada mais que isto.

Mergulhar nos caminhos instigantes das quilométricas fórmulas da matemática, dos cálculos diferencial e integral, dos princípios da física de Isaac Newton, Albert Einstein, a Geometria Cartesiana, a álgebra, o sistema de coordenadas, de René Descartes, Galileu Galilei, Pascal, entre tantos outros grandes sábios que dedicaram toda a sua vida ao estudo daquilo a que se propuseram a descobrir dentro da funcionalidade da mecânica do Universo e a partir daí, muitos inventos foram possíveis graças a essas grandes descobertas, grande parte para o benefício da humanidade, outras, para a própria desgraça desta, mas é assim que caminha a humanidade.

Por isso mesmo, voltar à banca acadêmica é buscar me reencontrar com o que ficou lá atrás, está sendo interessante a partir do momento em que estou tendo o contato direto com esses grandes sábios de meu passado e também com os mecanismos frutos da informática que nos permite ter contato com softwares avançados que nos permite formular estruturas fenomenais na área de construção civil como o uso do AUTOCAD, Revit, entre outros, porém os mais conhecidos no Brasil são esses dentro os onze melhores indicados. Então a construção civil na verdade, não se atém mais a tão somente a plantas estruturais em desenhos em papel apropriado, mas o que prevalece no mundo moderno, são as plantas baixas e estruturais, formulados através desses importantes softwares proporcionados pela ciência da computação.

Então minha gente, se chegar realmente a concluir o curso, que só vai mesmo ficar na minha biografia, ou por ter me iniciado na área de ciências exatas ou porque cheguei a concluir o curso adstempo, numa época em que certamente um projeto feito por mim, não virá a ter tanta credibilidade, mas com certeza, chegando a concluir esse curso, podem ter certeza que como advogado militante há em torno de três décadas, trabalhando dentro da ética e dignidade profissionais, com alguns anos a mais, poderei com certeza vir a fazer um trabalho com selo de qualidade, porque nunca fui de dar arrego ao tempo, ao vento, apesar de está andando num trem que poderá descarrilar de uma hora para outra, e desta certeza ninguém poderá impedir ou remediar, por ser real e única em que eu, você e todos nós verdadeiramente teremos que pegar esse mesmo trem e seguir para essa mesma estação derradeira.

Compartilhar:

Manoel Modesto

Advogado, escritor, poeta e presidente da ABLA (Academia Buiquense de Letras e de Artes)

Publicações sugeridas:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *