Não é Feio Ser Pobre

Pelo desenrolar dos fatos, na condição de observador da convivência humana e social, fico extremamente chochado diante da atitude de pessoas pobres de Jó, como o ditado bíblico, em que não se dão o devido valor e não tem ou se fazem merecer o menor respeito pela posição que tomam na sociedade na condição de integrante dessa camada social. Será que a condição de pobreza faz com que determinadas pessoas têm que baixar o lombo mesmo e até ter vergonha de ser pobre?

Historicamente, os fariseus, que fazem a ponte social entre a base e o ápice dos que são considerados intocáveis, o pobre só serve mesmo para ser boiada a caminhar de conformidade com o toque do aboiador (pajem do fariseu), que é levado diretamente para o corredor, no mínimo da miserabilidade, no máximo, da morte. É assim que observo a sociedade insana e repugnante em que vivemos no mundo moderno ou pós-modernista atual. Dominantes e dominados parece que será sempre uma praga perene.

O que não entendo no relacionamento social, é o fato de que, inserto neste estamento sociológico, pessoas pobres subjugadas pelos poderosos ocasionais ou por paus mandados de quem está no ápice dessa pirâmide social, acharem por bem se curvarem como obedientes cordeirinhos para toda uma farsa falaciosa ardilosamente montada para tão-somente enganar e dominar essa pobreza como se fosse realmente uma boiada levada para o corredor da morte, porque na verdade, essa questão de exploradores versus explorados, nunca vai deixar de existir enquanto o mundo for mundo. A questão é ser visualizado sociológica e filosoficamente, é o fato de que, até quanto a massa popular deve ser dominada por uma minoria que só trata de dar as cartas a essa imensa maioria?! – Na visão neoliberal de mundo, jogar dinheiro centrado em poucas mãos, tem o objetivo e gerar emprego, renda e melhorar a vida da pobreza, mas isso nunca acontece dentro da realidade plausível em que vivemos.

O que mais tenho observado justamente são pessoas sem o menor senso de discernimento, de conhecimento, de ter uma orientação mais adequada ou até mesmo não querer ou não aceitar, se curvar para uma horda de uma minoria de déspotas e malfeitores do tipo de nossos governantes atuais, que até um revisionismo histórico querem fazer e convencer muitas pessoas (algumas já convictas),.de que o Planeta Terra é plano e não de forma arredondada, quando isso já está mais do que provado e sedimentado cientificamente da esfericidade do Planeta Terra, senão o homem não teria ido na Lua, tampouco um navio cruzava fronteiras através dos mares.

Mas como querem dar uma nova visão cegueira com base num fundamentalismo idiota de determinadas correntes religiosas que só querem mesmo aprisionar mentes fracas para atender as suas meras pretensões de enriquecimento e de poder, eles inventam de tudo e mentem para todo mundo e o pior, é que tem muita gente acreditando de que isso que esses farsantes estão disseminando é a verdade real e palpável, quando na realidade, só estão idiotizando e imbecilizando a sociedade, sobretudo àquelas mais fragilizadas e até mesmo alguns que se dizem conscientes da vida e do mundo, estão acompanhando essa onda de mau-caratismo que está tomando conta de nossa gente, de nosso povo, que na verdade vem sendo usado como massa de manobra e muitos não estão convictos de que não vão passar disso, porque que está no poder, quem detém o poder, pode manobrar tanto pessoas quanto instituições e isso não tem nada de positivo para a convivência social mansa e pacífica, porque quem discorda de toda essa canalhice vai continuar sempre lutando e gritando para que esse patifes não cheguem a dominar a todos e a tudo.

Então minha gente, a conclusão a que chego, é o fato de que, ser pobre não é vergonhoso coisíssima alguma. Ser pobre digno, é motivo de honradez, de seriedade e de dignidade humana, coisa que em muita gente está faltando. A luta tem que ser por uma sociedade justa e igualitária, não sempre pendendo a balança para uma minoria que só vive de enganar a maioria com farsas, mentiras e fundamentalismo religioso da pior qualidade. Por isso mesmo, melhor ser um ateu bondoso e honesto, do que um religioso picareta, cabra safado, corrupto e ladrão, que em nome de Deus anda pregando uma palavra que jamais existiu para continuar dominando uma boiada de tolos e bestas. Chega de enganação e de enganadores!

Compartilhar:

Manoel Modesto

Advogado, escritor, poeta e presidente da ABLA (Academia Buiquense de Letras e de Artes)

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *