Forças armadas: para que servem?

Forças armadas - para que servem

O questionamento é perfeitamente pertinente, quando se trata de uma instituição que envolve os três segmentos das forças armadas brasileiras. Tem-se conhecimento indiscutível, que em tempo de guerra ou ameaça de invasão ao território geográfico de nosso país, com certeza desempenha um papel importante na defesa dos interesses nacionais, porém fora disso, que fazem as forças armadas?

Na Lei Orçamentária anual da União, foi previsto para as forças armadas, um orçamento próximo da casa dos 108 bilhões de reais, dos quais foi realizado em torno de pouco mais de 47 bilhões até o momento, quer dizer, foram despendidas despesas em torno desse limite de gastos para manutenção dessa instituição que vem desde a época do Brasil Colônia, de acordo com informações pesquisadas no site www.portaltransparencia.gov.br/funcoes/05-defesa-nacional?ano=2019, restando esclarecer que nem tudo que está numa determinada rubrica da peça orçamentária anual é factível de que venha realmente a ser realizada, dependo dos recursos aportados para cada um dos segmentos das forças armadas, afinal de contas a denominada LOA, não passa mesmo de uma peça de ficção daquilo que pode ou não vir a ser realizado.

Numa época de paz, poder-se-ia indagar: que papel desempenha essas forças que tem por dever e obrigação na Constituição Federal de 1988, Art. 142, que aduz: As Forças Armadas, constituídas pela Marinha, pelo Exército e pela Aeronáutica, são instituições nacionais permanentes e regulares, organizadas com base na hierarquia e na disciplina, sob a autoridade suprema do Presidente da República, e destinam-se à defesa da Pátria, à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem. Pois bem, estão aí estão dispostos constitucionalmente o papel das forças armadas, naquilo que prevê a Lei Maior do Brasil, porém isso quando houver necessidade, porém atipicamente essa instituição busca agir desvirtuadamente daquilo que prevê a própria Constituição Federal, como a sua ingerência em áreas internas que não lhes dizem respeito, e em papéis que não competem a nenhuma dessas forças ou que sejam isoladas, ou conjuntamente, embora de todas essas forças, a que ganha mais destaque é o Exército Brasileiro.

No geral, essas instituições passam o tempo todo fazendo exercícios, gerando despesas além daquilo que o país pode destinar através dos impostos, taxas e contribuições que o povo paga através do fisco e a bem da verdade, se preparando ninguém sabe para que, isto por que não existe nenhuma ameaça de guerra, de invasão internacional que o país esteja na iminência de que isso venha a acontecer, então em determinados períodos, as forças armadas não são assim tão prescindíveis à existência e manutenção da segurança de todo entorno do território nacional, porque esse papel é feito pelas policiais e agentes penitenciários que fazem a verdadeira segurança interna em cada estado da federação e essas forças sim, trabalham duro para ganhar pelo suor que derramam, quase que praticamente nada, por isso mesmo há de se questionar o papel desempenhado na realidade pelas forças armadas brasileiras. Pior é o fato de que, em determinadas reformas, os privilégios, não do soldadinho de ferro que só sabe receber e cumprir ordens, mas dos medalhões, esses sim, não abriram ou jamais abrirão mão de forma alguma, nem que a vaca venha a tossir!

Há de se ressaltar ainda, que o Japão e a Alemanha, depois de Segunda Grande Guerra Mundial, ficaram proibidos de constituírem forças armadas, nem por isso foram objeto de invasão de país algum, então a bem da verdade, qual é o real papel das forças armadas? – Acaso seja para fazer operações de exercícios em época de paz, isso praticamente não quer dizer que vá haver uma guerra ou ameaça de invasão de nosso território; por outro lado, da mesma forma, se exercitar fisicamente noutras ocasiões, isso não significa que seja uma tarefa trabalhosa para milhares de homens e mulheres estarem melhorando o seu físico às custas de verbas públicas. Por isso mesmo, vendo por esse ângulo, na verdade as forças armadas, sobretudo no pequeno grupo seleto do ápice da hierarquia, é quem mais despende despesas e ninguém vê o produto desses detentores de galardões sem praticamente nada produzirem, a não ser recomendar ou ameaçar intervenção no próprio país e quebrar o pacto social da democracia, sendo esta a presença mais risível das forças armadas brasileiras, porque sempre se posicionaram ao lado dos mais fortes.

Não se está aqui desmerecendo ou querendo dizer que as forças armadas em tempos de guerra ou de descontrolável tumulto interno, não venham a ser necessárias e imprescindíveis, porém há de se questionar, em tempos de paz, para que servem as forças armadas, hein, minha gente? – Não se trata de uma crítica a ordem institucional, mas sim, algo a ser refletido pelo povo brasileiro.

Compartilhar:

Manoel Modesto

Advogado, escritor, poeta e presidente da ABLA (Academia Buiquense de Letras e de Artes)

Conteúdo sugerido...

Leave a Reply

Your email address will not be published.